Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Degustação’

Acontecerá esta semana o Encontro de Vinhos de Curitiba, maior evento de vinhos no conceito “road show”  do país focado no público consumidor. Em sua terceira edição, o evento contará com a presença de expositores como Casa Valduga, Cave Geisse, Domno, Cantu, Ideal Drinks, TodoVino, dentre outros.

encontro-de-vinhos-curitibaMais de 150 rótulos estarão disponíveis para degustação e o visitante poderá também participar de outras atividades, tais como palestras acompanhadas de um painel de degustação (informe-se para garantir o seu lugar).

Para quem estiver em Curitiba no dia 08 de Novembro, vale a pena se programar para participar. Será uma excelente oportunidade para conhecer novos vinhos e aproveitar um delicioso momento entre amigos.

Sobre o Evento:

Dia 08 de Novembro das 14h às 22h

Hotel  Lizon – Av. Sete de Setembro, 2246 – Centro

Ingressos: R$70 no local ou R$60 através do site.

Mais informações: www.encontrodevinhos.com.br

Um brinde!

Cristina Almeida Prado.

 

Read Full Post »

Dia 02 – Visita ao Domaine Bouchard Père & Fils

Apesar de ser uma cidade pequena, com apenas 21.300 habitantes, Beaune pede tempo para ser visitada. Entre uma degustação e outra, uma visita à Moutarderie Edmond Fallot, à Fromagerie Allan Hess, ou mesmo passeios guiados de bicicleta pelas redondezas, são algumas das atividades imperdíveis da cidade. Portanto, aproveitar essas descobertas sem pressa é fundamental.

Após conhecer a Moutarderie Edmond Fallot e, claro, fazer umas comprinhas, segui para a visita ao Domaine Bouchard Père & Fils. Fui recebida por Vincent Dupasquier, que compartilhou um pouco da história de seus vinhos e me guiou pela propriedade.

Sede-Domaine-Bouchard-Père-et-Fils-torre-Chateau

Sede do Domaine Père et Fils e uma das torres do século XV do Château de Beaune

Fundada em 1731 em Beaune por Michel Bouchard, Bouchard Pére & Fils é uma das mais antigas propriedades na Borgonha, com quase 300 anos e administrada por 9 gerações. No início, atuavam como négociants, comprando uvas de outras propriedades e vinificando. Ao longo dos séculos foram adquirindo importantes terras pela região, desenvolvendo seu próprio vinho e construindo sua marca. Na época da Revolução Francesa, terras possuídas pelo Clero e pela nobreza foram confiscadas e colocadas à venda. O que foi uma oportunidade para a família Bouchard, que adquiriu, inclusive, as famosas terras de Beune Grèves Vignes de L’Enfant Jesus (as vinhas do menino Jesus, que pertenciam ao Clero).

Em 1820, Bernand Bouchard comprou o Château de Beaune, uma fortaleza real murada construída pelo rei Louis XI no século XV, que se tornou sede da propriedade. Quatro das cinco torres originais da fortaleza ainda estão lá. Suas caves, utilizadas até hoje, ficam a 10 metros de profundidade, o que confere temperatura e umidade ideais para o amadurecimento dos vinhos. A propriedade guarda também uma coleção histórica e única de cerca de 2.000 garrafas de suas melhores safras desde 1846, sendo que, periodicamente, as rolhas são trocadas e as garrafas preenchidas com o mesmo vinho.

Domaine-Père-et-Fils-jardim

Domaine Bouchard Père et Fils e seus jardins

O Domaine Bouchard Pére & Fils se tornou a maior propriedade na Côte D’Or, com 130 hectares de vinhas, sendo 12 classificados como Grand Crus e 74 Premier Crus. Combinando tradição e inovação, a propriedade oferece uma diversidade de vinhos de respeitadas apelações, como Montrachet, Corton-Charlemagne e Meursault Perrières, por exemplo. Produzem, em média, 7 milhões de garrafas por ano, exportando 52% de sua produção para 57 países.

Em 1995 o domínio foi comprado por um grupo internacional que possui também a marca William Fèvre, em Chablis. Alguns membros da família Bouchard ainda trabalham para a companhia e a tradição e busca contínua pela excelência são mantidos.

Ao final do passeio pela propriedade, conhecendo suas construções históricas, suas caves e seus jardins minuciosamente cuidados, paramos para degustar uma excelente seleção de vinhos da Bouchard Père & Fils e William Frèvre:

Degustação-de-vinhos-Bouchard-Père-et-Fils-Borgonha

-Bourgogne Pinot La Vigne 2012

-Fleurie La Reserve 2012 (Villa Ponciago)

-Beaune du Chateau Premier Cru Rouge 2009 (Bouchard Père & Fils)

-Pommard Premier Cru 2011

-Volnay Caillerets Ancienne Cuvee Carnot 2011 (Bouchard Père & Fils)

-Beaune Grèves Vigne de L’Enfant Jesus 2011 (Bouchard Père & Fils)

-Nuits-Saint-Georges Les Cailles 2011 (Bouchard Père & Fils)

Degustação-de-vinhos-William-Fèvre-Chablis-Borgonha

-Chablis 2012 (William Fèvre)

-Chablis Premier Cru Vaillons 2011 (William Fèvre)

-Chablis Grand Cru Bougros 2011 (William Fèvre)

-Bourgogne Chardonnay La Vignee 2012

-Pouilly-Fuissé 2012

-Meursault Genevrières 2011 (Bouchard Père & Fils)

-Corton-Charlemagne 2011 (Bouchard Père & Fils)

Uma curiosidade sobre as degustações na Borgonha é que, ao contrário do que dizem as regras que normalmente seguimos por aqui, os tintos são degustados antes dos brancos. Talvez pela delicadeza característica dos Pinot Noirs em contraste com a intensidade e potência de seus Chardonnays. Quem sabe? O interessante é que funciona, sem comprometer o paladar.

Assim, fui terminando minha jornada na Borgonha. Foi uma experiência deliciosa conhecer seus vinhos, histórias e gastronomia “in loco”. Espero que tenham aproveitado essas descobertas comigo. E seguiremos para as próximas.

Bouchard Père & Fils

Château de Beaune, 21200, Beaune, France

www.bouchard-pereetfils.com

La Moutarderie

31 Rue Du Faubourg Bretonnière

www.fallot.com

Santé!

Cristina Almeida Prado.

 

Read Full Post »

Brasil, Argentina, Chile e Uruguai são os países da América do Sul mais conhecidos quando falamos em vinhos. Juntos, eles dominam a participação no mercado brasileiro, onde quase 80% dos vinhos finos vendidos são importados. O Chile é o líder de importações seguido da Argentina, e embora o Uruguai não esteja entre os primeiros colocados do ranking, o Brasil é o mais importante mercado de exportação para o vinho uruguaio.

Toda essa diversidade poderá ser conferida no Festival do Vinho Sul-Americano, organizado pela SBAV-SP (Associação Brasileira dos Amigos do Vinho de São Paulo). O evento acontece no dia 3 de outubro, no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza, em São Paulo. Será uma excelente oportunidade para experimentar novos vinhos e aproveitar para abastecer a adega, já que alguns dos rótulos degustados estarão à venda.

degustacao-vinho-sul-americano

Entre os participantes, estão confirmadas grandes importadoras como Decanter, Interfood, Zahil e Viníssimo e vinícolas de destaque, como a premiada chilena Viña Ventisquero. Miolo, Perini e Aurora compõem o time de sul-americanos com rótulos brasileiros.

De acordo com Rodrigo Mammana, presidente da SBAV-SP, o evento acontece em um período estratégico do mercado: “Estamos em um bom momento para promover o vinho sul-americano devido às festividades de final de ano que se aproximam. O Festival é uma oportunidade para quem quer adiantar as compras nesta época em que há um aumento no consumo de vinhos e espumantes”.

Além de adiantar as compras de final de ano, o Festival do Vinho Sul-Americano oferecerá a oportunidade de conhecer o que vem sendo produzido no setor vitivinícola dos países do chamado Cone Sul.

A Argentina, por exemplo, é famosa por seus brancos Torrontés e tintos Cabernet Sauvignon, tradicionais de Mendoza. Sem falar no Malbec argentino, consagrado como um dos vinhos preferidos e mais procurados pelos consumidores. Seus vinhos são únicos e de personalidade, com estilos particulares que trazem os traços de sua origem.

Já o Chile é reconhecido por sua grande diversidade de terroirs, vinhos e cepas. A Carménère é a uva emblemática do país, que também produz grandes exemplares elaborados com a Cabernet Sauvignon.

No Uruguai são predominantes os vinhos Tannat, uva de origem francesa que se tornou tão popular que, hoje, a produção no país é maior do que na própria França. Vêm de lá alguns dos tannats mais premiados do mundo.

No Brasil, destaques para Chardonnay e Merlot, elaborados em sua maior parte na região Sul, além dos espumantes que surpreendem e conquistam cada vez mais paladares exigentes. As premiações internacionais que os rótulos vêm recebendo em concursos importantes e avaliações positivas vindas de críticos de renome contribuem para o aumento no consumo da bebida.

Festival do Vinho Sul-Americano

3 de outubro de 2014 | Das 16 às 21 horas

Hotel Golden Tulip Paulista Plaza

Alameda Santos, 85 – Jardins – São Paulo/SP

Mais informações: (11) 3814-7905 ou (11) 3814-7905

vinho@sbav-sp.com.br

Convites: R$ 30,00 (associados) e R$ 50,00 (não associados)

Nos vemos lá?

Cristina Almeida Prado.

Read Full Post »

Para os amantes do vinho, promover uma degustação em casa é um caminho perfeito para compartilhar, discutir e descobrir novos vinhos com os amigos.

Planejar uma degustação é relativamente fácil. Faça a lista de convidados, escolha um tema e separe todo o material necessário: a toalha que deve ser branca para melhor observação da coloração do vinho, as taças, jarras de água, pãezinhos e azeite. Se quiser sofisticar, capriche na decoração e distribua fichas de avaliação.

Regras e tipos de degustação:

DEGUSTAÇÃO DE VINHOS 1- A mais tradicional regra é partir do vinho mais leve para o mais encorpado; do seco ao mais doce.

2- Procure limitar os vinhos escolhidos a tintos, estritamente, ou a brancos.

3- Estipule uma faixa de preço e solicite a cada convidado que traga o vinho de sua preferência. Essa é uma boa forma de você compartilhar com os amigos seu vinho favorito, descobrir novos vinhos para adicionar a sua lista e, é claro, baratear sua despesa como anfitrião.

4- Degustação Varietal: escolha uma variedade de uva e experimente-a, diversificando a região de origem. Seria muito interessante, por exemplo, degustar um Chardonnay francês, um australiano, um californiano e um brasileiro.

5- Degustação Vertical: escolha um vinho de determinada vinícola e procure as variadas safras desse mesmo vinho. Isso permitirá que seus convidados descubram as diferenças daquele vinho de ano para ano, isto é, a que condições climáticas estiveram sujeitas aquelas uvas e seus reflexos no produto final.

6- Degustação Horizontal: escolha uma safra e uma variedade de uva, mas diferentes produtores. Isso permitirá aos seus convidados perceber o quanto variam os vinhos de produtor para produtor e quão drasticamente podem mudar, dependendo de onde e como foram produzidos.

DEGUSTAÇÃO ÀS CEGAS 7- Degustação às cegas é aquela geralmente adotada nos grandes concursos internacionais de vinhos e exaustivamente praticada pelos entendidos de vinhos. Para esse tipo de degustação, cubra cada garrafa completamente, a fim de que os convidados não possam identificar o que estão provando. Evita-se, dessa forma, qualquer tipo de ideia preconcebida a respeito de qualquer vinho, permitindo que o convidado faça sua avaliação baseado no mais importante fator: sua apreciação, segundo seu paladar pessoal e suas experiências sensoriais individuais. Numere cada garrafa, assim como cada taça, servindo o vinho número 1 na taça número 1, e assim por diante. Nesse tipo de degustação, aconselha-se que sejam distribuídas fichas de avaliação. Peça a todos que registrem suas observações. No final, todos compartilham suas anotações, discutem suas ideias e procuram chegar a uma conclusão, podendo inclusive eleger o vinho que mais agradou a todos e classificá-los numa determinada ordem. Só então revele a identidade dos vinhos degustados. Essa é uma divertida, prazerosa e instrutiva brincadeira.

Se você está pensando em reunir os amigos e degustar alguns vinhos, escolha uma das dicas acima e comece a planejar seu evento. Lembre-se de que para uma memorável ocasião, não importa o quanto você quer se aprofundar no assunto ou até onde você quer chegar; planejamento é o nome do jogo e a única maneira de assegurar que seu evento será um sucesso.

Cheers!!!

Maria Uzêda

Read Full Post »

« Newer Posts