Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Degustação’

Como uma típica cidade cosmopolita, São Paulo é um coração pulsante cheio de acontecimentos. Entram nessa lista muitos eventos ligados ao mundo do vinho que acontecem durante o ano inteiro. Na última semana de junho, por exemplo, foi realizado o Uruguai Wine Tour no hotel Renaissance, com a assessoria e divulgação da CH2A Comunicação. Imprensa e profissionais do setor lotaram o espaço reservado para o evento que, além de vinhos de alta qualidade, promoveu master classes e ofereceu uma caprichada mesa de queijos, frios, frutas e castanhas.

img_8040

O Uruguai Wine Tour colocou em evidência mais de 20 vinícolas uruguaias, dentre elas a Bodega Garzón cujos vinhos são trazidos com exclusividade para o mercado brasileiro pela importadora World Wine desde 2012.

A Bodega Garzón está localizada a 60 km de Punta del Leste, na região de Maldonado, onde um tipo de solo granítico oferece excelente drenagem e permeabilidade a seus vinhedos. Cepas tintas como a Tannat, Marselan, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Petit Verdot, e Merlot, e as brancas Alvarinho, Pinot Grigio e a Sauvignon Blanc produzem os conceituados vinhos Garzón. Foi fundada pelo argentino Alejandro Bulgheroni que conta com a consultoria do renomado Alberto Antonini e a atuação criteriosa do enólogo Germán Buzzone na elaboração dos vinhos. Mas os detalhes da fascinante história da criação dessa vinícola merecem ser contados em matéria especial que em breve estaremos publicando.

img_8043

Foram servidos três rótulos durante o evento:

1- “Alvarino 2018”
Vinho branco de coloração amarelo palha com reflexos esverdeados, possui aromas de frutos brancos como o pêssego e notas cítricas. Em boca é fresco e mineral com ótima acidez e boa persistência. Fermenta em tanques de aço inoxidável e segue para maturação de 3 a 6 meses sobre suas borras em tanques de inox.

2- “Tannat Reserva 2017”
Vinho tinto de cor púrpura intensa, com aromas de ameixas e framboesas e um toque de especiarias. Em boca, apresenta taninos maduros e notas de mineralidade, expressando com personalidade seu terroir. Fermenta em tanques de concreto e passa por maturação de 6 a 12 meses sobre suas borras em barricas de carvalho francês sem tosta.

3- “Tannat Single Vineyard 2016”
Vinho tinto de coloração púrpura intensa, apresenta aromas de cerejas e morangos com notas de ameixas pretas e toques de tabaco, chocolate e especiarias. Em boca é suculento e fresco, possui bom corpo e longa persistência. Fermenta em tanques de concreto e segue para maturação em barricas de carvalho sem tosta por 12 a 18 meses.

img_8025

Esses três vinhos degustados representam apenas uma amostra dos 17 rótulos produzidos pela Bodega Garzón.

O evento daquela noite veio nos provar que a produção vinícola do Uruguai tem marcado sua presença no cenário internacional com ousadia, inovação tecnológica e muita personalidade. Cabe a nós, apaixonados por vinho, tirar proveito dessa realidade e embarcar na aventura prazerosa de experimentar seus respeitáveis vinhos.

Maria Uzêda

Read Full Post »

Tradicionalmente os vinhos são classificados quanto à coloração em Tintos, Brancos e Rosés. Agora podemos também encontrar o vinho Laranja e o vinho Azul. Tudo vai depender do tipo de uva, do método usado e das antocianinas presentes no vinho. Só para lembrar, antocianinas são pigmentos existentes nas flores, frutas e folhas, e que são responsáveis pela coloração vermelho alaranjado, vermelho vivo, roxo ou azul.

No Sul do Brasil, na região da Serra Gaúcha, a vinícola Era dos Ventos vem produzindo um belo vinho laranja que foi inclusive citado no Guia Descorchados de 2018, recebendo 92 pontos na safra de 2011 e 94 pontos na safra de 2014. O enólogo e proprietário Luís Henrique Zanini, juntamente com seus dois sócios, Álvaro Escher e Pedro Hermeto, desenvolve um interessante projeto que resgata antigas cepas trazidas pelos imigrantes italianos no começo do século XX. Uma delas é a uva branca chamada Peverella que, comercialmente, foi deixada de lado, chegando quase à extinção na década de 70. E é com essa uva branca que tem sido elaborado o vinho laranja dessa vinícola.

O nome Peverella deriva do italiano “pevero” que significa pimenta. Curiosamente, quanto mais madura essa uva, mais pintadinhas ficam suas cascas, parecendo salpicadas de pimenta.

As uvas provenientes de velhos vinhedos localizados na zona de Caminhos de Pedra, na Serra Gaúcha, são trabalhadas pela vinícola com menos intervenção possível do homem, fermentadas com as cascas por um tempo de maceração mais prolongado (cerca de duas semanas), o que dá origem à coloração característica alaranjada. Por isso, a Peverella precisa de um tempo maior para amadurecer bem e ficar mais amarelada e menos verde ao ser colhida, a fim de transferir coloração para o mosto durante a maceração.

Quando degustado, o vinho “Peverella” mostra estrutura, notas de frutas cítricas, um toque de laranja confitada e taninos bem presentes. Sugere-se cinco anos de guarda.

Para harmonizar com o vinho laranja, aconselhamos um talharim na manteiga com creme leve finalizado com trufas, o cordeiro temperado da culinária árabe e a paella valenciana. Vale a pena experimentar!

O universo do vinho sempre foi cheio de nuances e tons, e com a valorização dos vinhos rosés, laranjas e azuis, o mundo fica mais colorido! Tim Tim!

Maria Uzêda

Read Full Post »

No final do mês de julho, um evento especial atraiu um enorme público ligado ao mundo do vinho: a quinta edição do International Wine Show. Realizado no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, a feira de vinhos reuniu 50 stands de importadoras e vinícolas conceituadas que apresentaram cerca de 300 rótulos para degustação e compras com descontos especiais.

Além dos vinhos, um buffet de frutas, pães, torradinhas, patês e queijos foi servido. Um apetitoso exemplar de Jamon Ibérico, assim como taças de Freixenet estavam também sendo servidos em stands estratégicos, tão visitados que chegava a formar fila.

A ilustre presença de sommeliers e enólogos, profissionais especialistas em vinhos, abrilhantou o evento e contribuiu para agregar valor aos produtos degustados.

No stand da importadora Devinum, por exemplo, conhecemos o enólogo Cristian Carrasco. Ele nos falou do projeto “La Causa” que desenvolve na vinícola Torres com uvas ancestrais que vêm se destacando na região de Itata, no Chile. As uvas Cinsault, País e Carignan deram origem ao blend La Causa 2015, um excelente tinto encorpado e de muita complexidade. Degustamos também o La Causa Cinsault 2015. Este 100% Cinsault passou por carvalho francês de terceiro uso por 12 meses, o que lhe conferiu equilíbrio, estrutura e taninos macios, sem perder a fruta. Não poderíamos deixar de falar do maravilhoso vinho Torres Purgatori Carignan, Garnacha e Syrah 2014, também importado pela Devinum que poderia listar dentre os melhores da feira. Ambos os rótulos foram lançados no International Wine Show e agora integram o Portfólio da Devinum.

A BEV Group apresentou dentre seus rótulos o vinho Cesare Jame Corvina Veronese IGT 2012. As uvas desse vinho foram processadas em estilo passito, o que nos remete aos aromas e sabores dos grandes Amarones. Com amadurecimento de 18 meses em barris de carvalho, mais 6 meses em grandes barris e envelhecido por um ano em garrafa, este é um vinho de guarda para se reverenciar.

A Decanter exibiu os seus Las Moras Los Intocables 2016, o Cabernet Sauvignon e o Malbec, curiosamente envelhecidos em barris de Bourbon. Muito bons!

A O11 Import lançou na feira o vinho Quinta da Costa das Aguaneiras 2014, produzido a partir de vinhas velhas de propriedade dos Condes de Vila Real desde 1659. Um tinto encorpado, elegante e muito equilibrado!

A Caves de Santa Cruz é uma importadora familiar que veio trazendo os sedutores “Ervideira” e os “Quinta da Pacheca”. Destacamos o “Ervideira Invisível Branco Aragonês 2016”, um vinho sempre lançado em primeiro de Abril (Dia da Mentira), elaborado inusitadamente com 100% tinta Aragonês de vindima noturna. Merecem destaque também o “Conde da Ervideira Reserva DOC 2011” e o “Quinta da Pacheca Reserva Vinhas Velhas DOC 2013”. Excelentes!

A importadora La Pastina ofereceu vinhos de países variados: o interessante vinho orgânico chileno Coyam Blend 5 uvas 2013, o poderoso Primitivo di Manduria Since 1913 Torrevento 2013, o fabuloso Chateauneuf du Pape Chemin des Papes 2015 e o vinho novidade Entrecote Blend Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah 2016, um vinho fresco, frutado, alegre e totalmente fora das regras francesas, um vinho agradavelmente indisciplinado!

No stand da Mistral o poderoso vinho argentino El Enemigo Bonarda 2014 encantou os consumidores. Delicioso!

Produtores brasileiros como a Miolo, a Valduga, a Casa Perini e a Cooperativa Fabenne também estiveram presentes na feira, mostrando que o Brasil está produzindo muita coisa boa.

Para aqueles que puderam conferir os novos lançamentos das importadoras e degustar vinhos pontuados, fica uma grande expectativa para a feira do ano que vem.

Parabéns aos organizadores, promotores e assessoras de comunicação que se empenharam com paixão para o sucesso dessa quinta edição do International Wine Show.

Maria Uzêda.

Read Full Post »

Às vésperas da semana dos namorados, São Paulo é brindada com uma maratona de eventos de vinhos, permitindo a profissionais e enófilos de plantão conhecer uma diversidade de novos rótulos e abastecer a adega de bons vinhos.

DEGUSTAÇÃO DE VINHOS

EXPOVINIS BRASIL

De 06 a 08 de junho acontece a Expovinis Brasil, maior feira de vinhos da América Latina, no pavilhão branco do Expo Center Norte em São Paulo.

Entre as empresas participantes estão vinícolas do Brasil reunidas pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) – Casa Venturini, Peterlongo, Rasip/RAR, Don Guerino, Vinícola Batalha, Vinícola Aracuri, Capoani, Zanella, Don Candido, Cavalleri, Sanjo, Lucano, Campos de Cima, Marco Luigi e Dom Pedrito – além de Pericó e Laurentia, que participam com espaços próprios.

Também já confirmaram presença produtores de Portugal (AEP), Chile (Wines of Chile), Itália (Câmara do Comércio Ítalo-Basileira), Eslovênia, Reino Unido, Argentina e Espanha, e as importadoras Premium, Casa Flora, Adega Alentejana, Bodegas Selecionadores de Vinhos, Vino Italia, Vinissimo e Galeria dos Vinhos.

Além da área de exposição, a ExpoVinis contará com um wine lounge onde serão ministrados conteúdos relevantes e de interesse do público visitante que poderá participar gratuitamente. O evento contará também com o Wine Bar ExpoVinis, espaço onde o público poderá adquirir vinhos em taças para degustações mais completas.

Para participar da feira é necessário adquirir convite que, para profissionais, deve ser feito antecipadamente, e para consumidores, na entrada do evento.

Os valores são:

– Profissionais do setor: R$ 30,00;

– Consumidor final: R$ 150,00.

Todos os visitantes pagantes terão direito a uma taça para degustação e 10% de desconto nas compras realizadas na Loja ExpoVinis.

Mais informações: www.expovinis.com.br

GRAND TASTING

Outro evento imperdível é o Grand Tasting, maior feira de vinhos realizada pela Grand Cru, que além de oferecer degustações de inúmeros rótulos trazidos pela importadora, promove palestras e degustações guiadas.

Dentre as vinícolas confirmadas: Cave Geisse, Errazuriz, Leyda, Grandes Viños de San Pedro*, Koyle, Zorzal, Escorihuela Gascón, Pulenta Estate, Cobos, Bottega, Brancaia, Fanti, San Marzano, Mazzei, Talenti, Vila Medoro, Ixsir, Morande Adventure, Barone Montalto, Soprassasso, Ricossa, Matetic, Heras Cordon, Bodegas Pablo e Saint Clair.

Além de poder conhecer cada uma dessas vinícolas e seus vinhos, o evento contará ainda com 15 estações temáticas, divididas nas seguintes categorias:

Champagne Billecart Salmon, espumantes, brancos leves, brancos estruturados, rosés pelo mundo, novidades do novo mundo, novidades do velho mundo, Pinot Noir pelo mundo, península Ibérica (com destaque para o Alentejo, Ribatejo, Toro, Alicante e Priorat), terroirs da França (com destaque para os vinhos do Languedoc, Loire e Bordeaux), super pontuados, vinhos de autor, Douro x Duero, vinhos do Porto e vinhos de sobremesa.

No dia do evento, as garrafas serão vendidas com 10% de desconto.

-SP | 06/06 – 15:00 às 21:00 (exclusivo para clientes on/off trade)

Local: Casa da Fazenda do Morumbi

Endereço: Av. Morumbi, 5594 – Morumbi, São Paulo – SP

-SP | 07/06 – 19:00 às 22:00 (consumidor final)

Local: Casa da Fazenda do Morumbi

Endereço: Av. Morumbi, 5594 – Morumbi, São Paulo – SP

Investimento: R$ 280, sendo 50% revertido para a compra de vinhos nas compras acima de R$1.000.

Mais informações: www.grandcru.com.br

SÃO PAULO WINE WEEK

Entre os dias 5 e 11 de junho acontece a 1ª São Paulo Wine Week, uma semana dedicada ao vinho em alguns dos mais renomados restaurantes da capital paulista.

O objetivo é fomentar o conhecimento e o consumo de tintos, brancos, rosés e espumantes através da experiência com vinhos do Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, África do Sul, França, Itália e Portugal.

Os restaurantes participantes vão oferecer três taças de vinhos a um preço único e menor do que aquele praticado fora da SPWW. A ideia é que as casas montem um flight de vinhos de diferentes estilos, começando com um perfil aperitivo, mais leve e aumentando em intensidade e complexidade.

A faixa de preços para cada “trio” de vinhos vai variar entre R$ 45,00 e R$ 60,00. A ação será focada nos jantares de segunda a sexta-feira (5 a 9 de junho) e almoços e jantares no sábado e domingo (10 e 11 de junho).

A lista completa dos restaurantes participantes da SPWW pode ser conferida em: www.spww.com.br.

 PORTO E DOURO WINE TASTING

A quarta edição do evento chega à cidade de São Paulo com mais de 400 rótulos para degustação e 64 produtores portugueses. O evento acontece de 9 a 11 de junho no Shopping JK em São Paulo e, além de promover as degustações, permitirá ao consumidor participar de workshops com harmonizações e palestras temáticas ministradas por grandes profissionais do meio, como Dirceu Vianna Júnior, Jorge Lucky e Luís Lopes.

As atividades principais têm inscrições pagas e acontecerão em dois espaços: no Mercado de Vinhos e nas Salas de Provas, Cursos e Harmonizações. Na Área de Convivência, com entrada franca, e cercada por um ambiente charmoso e descontraído, o visitante terá a oportunidade de comprar os vinhos que provou no evento.

Mais informações: https://oglobo.globo.com/projetos/vinhosdeportugal/sp.html#agenda

cantina vinícola Geisse Chardonnay

Aproveite esta oportunidade única para degustar, aprender mais sobre vinhos, fazer boas compras, reunir amigos enófilos e brindar à vida.

Cristina Almeida Prado.

Read Full Post »

Apreciar ou curtir um vinho é como muitas outras atividades na vida: quanto  mais você conhece, mais prazerosa é a experiência. Jogar ou assistir a uma partida de tênis por exemplo, é muito mais divertido quando você conhece as regras e entende as estratégias do jogo. Da mesma forma, acontece com o vinho. A ideia de que você deve dedicar horas de sua vida com estudos sobre o vinho para formar uma opinião ou avaliar um vinho não é verdade. Na verdade, você precisa somente se familiarizar com algumas regrinhas básicas.

1_taças_degustação
Tente pensar no vinho como um alimento em vez de uma bebida. Quando você vai a um restaurante, parte do seu prazer está na preparação, na apresentação e na aparência do prato. Sem falar nos aromas de um bom prato que podem  trazer uma experiência sensorial maravilhosa. Os sentidos do paladar e do olfato estão tão interligados com a comida quanto estão com o vinho. O prazer de apreciar um bom jantar é um simples trabalho de percepção sensitiva que não necessita de treinamento formal ou habilidades especiais. O ritual de uma degustação de vinho segue uma maneira similar. Felizmente, o processo é simples e você já possui as principais ferramentas necessárias que o auxiliarão na deliciosa tarefa de degustar um vinho: língua, nariz, bagagem sensorial e memória olfativa e gustativa.

2_vinho_e_comida_degustação
Ao iniciar uma degustação tenha em mente as seguintes observações:
1- Cor e aparência
2- Aromas
3- Gostos
4- Equilíbrio entre fruta, açúcar, acidez e taninos
5- Persistência ou final

Há três coisas que você deve saber sobre a cor do vinho:

4_cor_do_vinho_degustação 1- A cor vem da casca. Qualquer que seja a cor da uva, tinta ou branca, o suco é claro, quase transparente, mesmo da mais negra uva. Por exemplo, o famoso Champagne é feito com três diferentes uvas, duas tintas e uma branca, no entanto, esse vinho é dourado (e é delicioso!). Depois de prensadas, obtém-se um suco com cascas. Se a pessoa que vai elaborar o vinho deseja que este seja branco, deve então remover rapidamente as cascas; se deseja que seja tinto, deverá deixar que as cascas dêem cor ao suco (processo de maceração). Quanto mais tempo as cascas permanecem em contato com esse suco (mosto), mais escura e intensa será a cor do vinho. Uvas de pele mais grossa como a Malbec, a Shiraz e a Nero d’Avola resultam em vinhos tintosos.

2- Cor e taninos estão intimamente relacionados: além da pigmentação, a casca é responsável pelos taninos. Então, quanto mais tempo o suco permanece em contato com as cascas, mais taninos esse vinho terá.

3- A cor é o primeiro indicador numa degustação. Se você colocar um vinho branco na taça e ele for amarelo palha com reflexos esverdeados, você pode esperar um vinho leve e cítrico; se for amarelo dourado, provavelmente é um branco mais encorpado e mais untuoso. Para o tinto, faça o teste do papel branco (incline ligeiramente a taça e posicione-a sob a luz e sobre um papel branco e observe): se apresentar boa transparência, você deve ter aí um tinto leve, normalmente com boa acidez; se houver média opacidade, poderá ser um tinto de corpo médio que costumam ter taninos moderados; e se mostrar-se mais opaco e de coloração intensa, poderemos chamar de vinho tinto encorpado, com taninos mais evidentes.
As nuanças de cor também nos passam informações. Um vinho branco mais translúcido, de coloração amarelo claro ou com reflexos esverdeados, indica vinhos mais jovens, cheios de vivacidade e aromas frutados; um branco menos brilhante, de amarelo dourado ou âmbar, costuma ser mais envelhecido, ganhando harmonia,delicadeza e complexidade aromática. Já os tintos com cor intensa e mais fechada (vermelho ou púrpura) indica um vinho jovem, com aromas pronunciados de frutas, boa acidez e taninos perceptíveis; ao passo que um tinto com tons granada ou atijolados indica vinho mais envelhecido, com complexidade aromática e com acidez e taninos mais integrados.

3_avaliação_degustação_vinhos
Olfato e paladar estão intimamente relacionados. Aproximadamente 80% do que sentimos ao provar algo depende enormemente da cooperação do nosso olfato, isto é 80% do que percebemos no palato é atribuído ao sentido do olfato. Qual de nós nunca perdeu o paladar quando está resfriado com congestão nasal?

Ao descrever os aromas de um vinho, existem dois pontos chaves a serem lembrados. O primeiro aspecto a ser descrito diz respeito à intensidade dos aromas (altamente aromático, convidativo, ou mais sutil e tênue. O segundo aspecto deve ser a descrição daquilo que o aroma do vinho o faz lembrar.
A seguir, listamos abaixo, por grupo e por tipo específico, algumas características aromáticas dos vinhos:

FRUTADOS: abacaxi, maracujá, lima, pêssego, melão, maçã verde, amora, framboesa, morango, groselha, uva passa, etc.
FLORAIS: jasmim, rosa, violeta, dama da noite, camomila, etc.
ESPECIARIAS: aniz, cravo, canela, louro, manjericão, pimentão, orégano, pimenta, etc.
HERBÁCEOS: grama, feno, menta ou hortelã, etc.
ANIMAIS: couro, caça, suor, etc.
MINERAIS: terra molhada, petróleo, etc.
QUÍMICOS E ETÉREOS: acetona, álcool, enxofre, fermento, etc.
AMADEIRADOS: cedro, carvalho, serragem, baunilha, etc.
EMPIREUMÁTICOS: tostado, defumado, café, chocolate, tabaco, açúcar queimado, caramelo, etc.
ADOCICADOS: compota, mel, melado, geleia, etc.

No exame gustativo, a classificação dos gostos é semelhante à utilizada no exame olfativo, ou seja relaciona-se com o reconhecimento olfativo, porém cinco aspectos são detectados de imediato pela nossa língua: o doce, o amargo, o álcool, a acidez e os taninos.
Identificamos o doce, na área anterior da língua, isto é, na ponta. Percebemos o amargo na parte do fundo da língua. O álcool nos dá a sensação de ardência ou queimação, a acidez estimula a salivação e os taninos lembram a cica dos frutos verdes.

Após a apresentação de todos os subsídios acima, acreditamos que os amigos apreciadores de vinho, terão condições mínimas de avaliar melhor e formar suas próprias opiniões a respeito de um vinho degustado. Esperamos, caro leitor, que, agora que você já conhece algumas regras de degustação, o simples gesto de levar uma taça de vinho à boca se torne uma experiência divertida, prazeroza e inesquecível.

Maria Uzêda.

Read Full Post »

A história da Viña San Esteban tem início com José Vicente e seu filho Horácio, viticultores de família com tradição de muitas gerações na produção de uvas no vale do Aconcágua, que acreditando na qualidade e potencial de suas uvas e terroir, vislumbraram a produção de vinhos de alto nível com a essência do Aconcágua. Horácio, chileno formado em enologia em Bordeaux, adquire experiência nos vinhedos de Bordeaux e Califórnia, ampliando seus conhecimentos na produção de vinhos. Quando retorna ao Chile, além de toda bagagem, vem trazendo tecnologia inovadora para a região e, em 1974, nascia a Viña San Esteban.

san-esteban-aconcagua-chile-vinos

Localizada a 870m do nível do mar, a Viña San Esteban, conhecida também como In Situ por sua linha de vinhos mais famosa, tem hoje cerca de 150 hectares e produção de 3 milhões de garrafas por ano. Com a proposta de oferecer a essência do vale do Aconcágua em uma garrafa, os vinhos da San Esteban são focados no mercado exterior e chegam às adegas de enófilos de mais de 20 países.

san-esteban-aconcagua-chile--in-situ

Além de suas lindas vinhas, numa romântica paisagem entre as cadeias dos Andes e a cordilheira da Costa, a propriedade possui algo a mais de especial. Em meio a seus vinhedos, existem sítios arqueológicos com petroglifos que datam de 1.000 anos atrás. Este atrativo inspirou a criação da marca da Viña San Esteban e pode ser visitado com agendamento prévio.

Na visita à propriedade, degustei alguns de seus vinhos:

san-esteban-aconcagua-chile

In Situ Sauvignon Blanc Reserva 2015

De coloração amarelho palha, apresentou aromas de maracujá, limão e notas herbáceas. Fácil de beber, frutado, ótima acidez e muito frescor.

In Situ Cabernet Sauvignon Reserva 2014

De coloração vermelho rubi intenso, apresentou aromas de frutas negras com notas de pimenta preta e cedro. Fácil de beber, bastante frutado, boa acidez e taninos macios.

In Situ Gran Reserva Carmenère 2014

14 meses de estágio em barrica francesa

De coloração vermelho carmim, apresentou ótima intensidade aromática, com aromas de cerejas negras e amoras com notas de pimenta preta. Em boca, bom corpo e média acidez.

In Situ Gran Reserva Cabernet Sauvigon 2014

14 meses em barrica francesa

De coloração vermelho rubi intenso, apresentou aromas de cerejas negras, amoras e pimenta preta. Em boca, bom corpo e acidez elevada.

Para quem desejar visitar a vinícola, basta enviar um e-mail e agendar um horário.

Viña San Esteban: www.insitu-travel.cl

Endereço:  Avda. la Florida 2220, San Esteban – Los Andes

Contato: insitu@vse.cl, +56 342 482842

Um brinde!

Cristina A. Prado

Read Full Post »

World Wine Experience: Vinhos do Novo Mundo

No dia 22 de setembro, em São Paulo, e 24 no Rio de Janeiro, acontecerá mais uma edição da World Wine Experience que terá como tema vinhos do Novo Mundo.

DEGUSTAÇÃO DE VINHOS

Nesta edição, serão apresentados 23 produtores de países como Argentina, Chile, Uruguai, África do Sul, Austrália, Marrocos, Estados Unidos e Nova Zelândia. O encontro permitirá aos amantes do vinho conhecer um pouco da história das vinícolas e as novidades, em contato direto com os produtores. Tudo isso da maneira mais divertida: degustando!

As marcas presentes serão: Vik, Alto Las Hormigas, Andeluna, Finca Sophenia, Atamisque, Vallisto, Aniello, Odjfell, Bisquertt, Viña Tabali, Viña Laroche, Clos des Fous, Garzón, L’Avenir, Angove, Tandem, Beringer, Schubert Wines, Château St. Jean, Domaine Serene, Etude, Stags´Leap Winery e Tablas Creek.

Uma das novidades será o grupo Vik Retreats, referência em hotelaria de luxo na América do Sul, que trará ao World Wine Experince o vinho VIK, um blend de cinco cepas produzido em sua vinícola de vanguarda, a Viña Vik, propriedad e de 4300 hectares no vale de Millahue, a duas horas ao sul de Santiago, Chile. “Sem dúvida, esse rótulo é um dos grandes destaques do evento”, afirma Celso La Pastina, sócio proprietário da World Wine.

Além dos vinhos, haverá uma degustação de azeites da Bodega Garzón. Os Azeites de Oliva Extra Virgem “Colinas de Garzón” – Bivarietal NV; Azeite de Oliva Extra Virgem “Colinas de Garzón” – TrivarietaL NV; e Azeite de Oliva Extra Virgem “Colinas de Garzón” – Corte Italiano NV, estarão disponíveis para serem provados em mini taças ou com pães.

Nos eventos, haverá também um buffet com pães, queijos, frios e uma seleção de produtos La Pastina.

World Wine Experience – Novo Mundo

SÃO PAULO

Dia 22 de setembro

Horário: das 16h00 às 22h00

Local: Rubaiyat Faria Lima

Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 2954 – Jardim Paulistano

RIO DE JANEIRO

Dia 24 de setembro

Horário: das 16h00 às 22h00

Local: Rubaiyat Rio de Janeiro

Endereço: Rua Jardim Botânico, 971 – Jardim Botânico

Ingressos através do televendas (11) 4003-9463 ou em qualquer loja World Wine, por R$ 120,00 por pessoa ou R$100,00 aos associados da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS)

Desconto na compra de vinhos participantes da feira.

Read Full Post »

Older Posts »