Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Pomerol’

Viajar e apreciar bons vinhos são as maiores paixões que tenho na vida. Em cada novo destino ou em cada garrafa aberta, há um mundo de descobertas, aprendizados e sensações. Quando as duas coisas se juntam, a experiência é inesquecível. Visitar as regiões vinícolas, conhecer suas características, sua história, seus produtores, entender os cuidados despendidos na elaboração de cada vinho e o impacto deste cuidado no resultado final, compartilhar da angústia por que os viticultores passam a cada ano, esperando que o tempo colabore para que se obtenha o melhor de suas uvas e degustar seus melhores vinhos in loco, personifica este líquido que tanto apreciamos e que guarda histórias que muitas vezes nem imaginamos. Compartilho aqui um desses momentos que nós, do blog Sommelière, tivemos em viagem recente à região de Pomerol, em Bordeaux, na França.

Chateau-Pomerol-Eglise-Igreja

Quando falamos em Pomerol, nossa primeira lembrança é o lendário Château Pétrus, marca conhecida globalmente e um dos vinhos mais caros do mundo. Muito tempo foi preciso até que a região chegasse ao nível de reconhecimento e respeito que tem hoje. Pomerol foi uma região tipicamente de vinhos brancos até finais do século 19, quando os altos preços dos tintos tornaram sua produção mais atraente. Somente em 1936 Pomerol recebeu status de AOC, tendo todas suas regras de produção e vinificação regulamentadas, criando assim uma identidade para seus vinhos.

Em sua história, alguns personagens tiveram um papel muito importante para elevar Pomerol a um patamar internacional:

-Jean-Pierre Moueix, que em meados do século 20 adquiriu algumas propriedades em Pomerol, além de uma participação no Château Pétrus e que foi responsável por diversos esforços para melhorar os processos de produção e divulgar os vinhos da região para o mundo.

-Michel Rolland, consultor de vinhos mais assediado do mundo, que nasceu em Pomerol, possui uma vinícola na região e começou carreira prestando consultoria para muitas das vinícolas na vizinhança.

-Robert Parker, um dos críticos de vinho mais conhecidos no mundo e que muito aprecia o estilo dos vinhos produzidos por Michel Rolland.

Assim, com a excepcional safra de 1982 associada à excelência no trabalho de Moueix e Rolland, às críticas de Robert Parker e um momento histórico favorável, foi possível um grande destaque mundial e o devido reconhecimento a Pomerol.

Dentro da AOC de Pomerol, as principais uvas plantadas são a Merlot, em maior expressão, seguidas pela Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon, que associadas dão a seus vinhos as notas de ameixa madura com taninos aveludados e a expressão sensual tão característica da região.

Em nossa visita à região, tivemos a oportunidade de conhecer de perto o trabalho de duas importantes propriedades que permitem que a paixão que têm pelo negócio transcenda a seus vinhos, proporcionando a milhares de enófilos momentos inesquecíveis de prazer à mesa.

Château Gazin

Chateau-Gazin-winery-vinhos-pomerol

Era um feriado, 0 dia estava frio e nublado, mas tivemos uma recepção calorosa. Logo na entrada da propriedade percebemos que ao lado das bandeiras hasteadas da França e União Européia, havia uma bandeira do Brasil. Quem nos recebeu foi o simpático Nicolas de Bailliencourt, um dos proprietários da vinícola.

A história do Château Gazin data do século 18, quando cavalheiros de São João de Jerusalém e da Cruz de Malta ali se estabeleceram e construíram um hospital com o intuito de receber e abrigar os peregrinos a caminho de Santiago de Compostela e é hoje a sede da propriedade. Somente no século 20, as terras foram compradas pela família Bailliencourt que está atualmente na quinta geração produzindo esses grandes vinhos.

O Château Gazin possui 24 hectares de vinhedos e chega a produzir 100.000 garrafas ao ano, dependendo da safra, e cerca de 80% de sua produção vai para o exterior.

Em nossa visita, conhecemos toda sua estrutura de produção, com os tanques de fermentação em concreto e os cellars onde os vinhos descansam por 18 meses em barricas francesas antes de serem engarrafados. Ao final, seguimos para uma degustação:

Chateau-Gazin-vinhos-wines-Pomerol-barricas

Château Gazin 2009

90% Merlot, 7% Cabernet Sauvignon e 3% Cabernet Franc (14,5% álcool)

Aromas de frutas negras maduras, com notas de menta e especiarias. Em boca, corpo cheio, taninos marcantes e retrogosto frutado. Excelente! Pode ser guardado por até 30 anos.

Château Gazin 2004

85% Merlot, 10% Cabernet Sauvignon e 5% Cabernet Franc (13% álcool)

Aroma animal, lembrando couro, com notas de café. Em boca, toque herbáceo, como mate, corpo cheio e taninos mais domados. Pode ser guardado por cerca de 10 anos.

Onde encontrar no Brasil: Mistral (www.mistral.com.br)

Château Clinet

Chateau-Clinet-vinho-winery-Pomerol

De lá, seguimos para o Château Clinet e fomos recebidas pela Monique, gerente de negócios, que nos guiou por toda a estrutura de produção da vinícola, assim como pelos vinhedos, nos contando a história da propriedade.

A propriedade em si, produz vinhos há longos anos. Mas sua história como Château Clinet é bem mais recente e data de 1999 quando a família, que já tinha negócios em agricultura e produzia vinhos em outra região, comprou as terras, deixando-as sob responsabilidade de Ronan Laborde, enólogo que tem como característica marcante a busca incessante pela inovação e a expressão do terroir. Os vinhos do Château Clinet, mesmo com a sua ainda jovem trajetória, são reconhecidos mundialmente como símbolo de excelência e traduzem muito bem as características de um Pomerol.

O Château Clinet possui 11 hectares e sua produção chega a 50.000 garrafas ao ano. Seu primeiro vinho descansa por 16 meses em barricas de carvalho francês e Ronan vem fazendo também experiências com carvalho alemão e austríaco. Até 2006 a vinícola contava com a consultoria de Michel Rolland, mas hoje o segredo de sua produção fica por conta de Ronan.

Seguimos para uma degustação, onde tivemos o prazer de ser acompanhados por Monique e Ronan:

Chateau-Clinet-degustação-vinhos-pomerol

Ronan by Clinet 2011

100% Merlot (13% álcool)

Suas uvas são provenientes de diversas regiões de Bordeaux. A proposta é de ser um vinho fácil e mais para o dia-a-dia. Com aromas bastante frutados e notas levemente tostadas, possui bom corpo e taninos aveludados. Fácil de beber e muito bom.

Fleur de Clinet 2011

95% Merlot, 5% Cabernet Franc (14% álcool)

Produzido a partir de uvas de diferentes produtores, apresenta aromas frutados, possui taninos macios e retrogosto persistente. Delicioso! Pode ser guardado por mais 5 anos.

Château Clinet 2011

90% Merlot, 9% Cabernet Sauvignon e 1% Cabernet Franc (13,5% álcool)

Apresenta aromas de frutas negras e notas de baunilha. Em boca, boa adstringência e taninos marcantes. Excelente!

Château Clinet 2012

Aromas de frutas negras e compota. Em boca, corpo cheio, taninos marcantes e muito equilibrado. Muito bom.

Onde encontrar: Grand Cru (www.grandcru.com.br)

Pomerol-grand-vin-de-france-vinhos-bordeaux

Visitar a região de Pomerol e descobrir seus inebriantes vinhos é uma experiência que recomendo aos enófilos de plantão, mas é importante notar que ao contrário do Médoc, região bastante turística com seus grandes Châteaux, em Pomerol os Châteaux mais parecem casas de fazenda e nem sempre é possível encontrar seus nomes na entrada das propriedades. Ali, são poucos os produtores que possuem sala de degustação e apenas alguns estão abertos ao público sem agendamento prévio. Portanto, procure se informar e agendar sua visita com antecedência.

Santé!

Cristina Almeida Prado.

Read Full Post »