Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Vinho Argentino’

Considerado o maior guia mundial de vinhos da Argentina, Chile, Uruguai e Brasil, o Guia Descorchados chega à sua edição 2018 com mais de 3.000 vinhos degustados, mais de 155 vinícolas argentinas e 190 chilenas, 30 vinícolas uruguaias e 16 vinícolas brasileiras.

São mais de 1.000 páginas com as notas dadas por Patrício Tapia, idealizador e organizador do guia, que conta com a colaboração de Eduardo Milan, editor de vinhos da Revista Adega. A publicação traz também detalhes sobre as principais uvas, harmonizações e recomendações, tornando-o referência para o setor.

O lançamento da versão 2018 será feito junto a uma grande feira de vinhos, com cerca de 100 produtores confirmados, dos 4 países. Os visitantes poderão conhecer os principais destaques, além de conversar com produtores, enólogos e importadores.

Descorchados-2018-patricio-tapia

Alguns dos participantes são:

ADOLFO LONA | ALTO DE LA BALLENA | ALTOS LAS HORMIGAS | ARESTI CHILE WINES | ARGENTO | BIANCHI |BODEGA CADUS WINES | BODEGA GARZÓN | BODEGA NIETO SENTINER | BODEGA TACUIL | BODEGA VALLE ARRIBA | BRACCO BOSCA |CALCU |CASA PETRINI | CASAS DEL BOSQUE | CASA VALDUGA | CASAS DEL TOQUI | CATENA ZAPATA | CERRO CHAPEU | CLOP WINES | DAL PIZZOL | DEICAS | DOMAINE BOUSQUET | DOMNO | DON GUERINO | YOO | EL ENCANTO |EL ENEMIGO | ERRAZURIZ SA |ESCALA HUMANA | ESTANCIA USPALLATA | FINCA ANIELLO | FINCA LAS MORAS|FINCA LAS PAYAS|FINCA SOPHENIA| GEN DEL ALMA | DÉCIMA | HERMAN | KAIKEN | LA PROMETIDA | LAGARDE | LAS MERCEDES | LÍDIO CARRARO | LUIS FELIPE EDWARDS | MAQUIS | MARICHAL | MATERVINI | MÁXIMO BOSCHI | MAYCAS DEL LIMARI | MIGUEL TORRES | MIOLO WINE GROUP |MORANDÉ | PASSIONATE WINES | PEREZ CRUZ| PIZZORNO | QUINTA DA FIGUEIRA | REQUINGUA | ROBERTO HENRIQUEZ | RUTINI WINES | SANTA EMA | TINTO RULO | TINTONEGRO | TRAPICHE | TRES PALACIOS | VALLISTO | VIAPIANA | VIÑA AQUITANIA | VIÑA BOUCHON | VIÑA CARMEN | VIÑA CASA DONOSO |VIÑA CASA SILVA | VIÑA CONO SUR | VIÑA COUSINO MACUL | VIÑA DE MARTINO | VIÑA EDEN | VIÑA EL PRINCIPAL | VIÑA FINCA DE LA CELIA | VIÑA GANDOLINI | VIÑA GARCÉS SILVA | AMAYNA | VIÑA LABERINTO | VIÑA LAS VELETAS | VIÑA LEYDA | VIÑA LOS CHOCOS | VIÑA MAIPO | VIÑA ODFJELL |VIÑA QUINTAY |VIÑA SAN PEDRO |VIÑA SANTA CAROLINA |VIÑA SIEGEL | VIÑA TABALI | VIÑA TARAPACÁ | VIÑA UNDURRAGA | VIÑA VALDIVIESO | VIÑA VENTISQUERO | VIÑA VENTOLERA | VIÑA WILLIAM COLE | VIÑAMONTES | VIÑA BISQUERTT | VIÑEDO DE LOS VIENTOS | VIÑEDOS ALCOHUAZ | VIÑEDOS EMILIANA | VINÍCOLA AURORA | VINICOLA CAVE GEISSE | VINÍCOLA FACCIN | VINÍCOLA LUIZ ARGENTA | VINÍCOLA PERINI |VINÍCOLA PIZZATO | VIVO O MUERTO | ZORZAL | ZUCCARDI

Em São Paulo, o evento acontece no Villaggio JK, na Vila Olímpia. No Rio de Janeiro o evento terá uma versão pocket, com 20 produtores e acontecerá no Village Mall, na Barra da Tijuca.

O Guia Descorchados pode ser adquirido no e-commerce da Loja Sabor.club no endereço http://loja.sabor.club/, bem como os ingressos para os eventos de São Paulo e Rio de Janeiro. A compra do ingresso dá direito a um exemplar do guia no valor de R$ 150,00.

E assinantes da Revista ADEGA e Revista Sabor têm 50% de desconto. Para solicitar o benefício os clientes deverão enviar e-mail para assinaturas@innereditora.com.br e solicitar o link de acesso. Os assinantes do Clube Adega também ganham um exemplar do Guia, bastando confirmar a presença pelo email concierge@clubeadega.com.br.

Para o trade e associados da ABS São Paulo os ingressos têm preços especiais e para o cadastramento devem enviar e-mail para info@innereditora.com.br solicitando informações.

LANÇAMENTO Guia Descorchados 2018 – São Paulo

Local: Villagio JK – Rua Funchal, 500 – São Paulo – SP

Data: 10 de abril de 2018

Horário: Trade e Imprensa – 14:30h às 17:30h // Público final – 18:30h às 21:30h

LANÇAMENTO Guia Descorchados 2018 – Rio de Janeiro

Local: Village Mall – terraço

Data: 12 de abril de 2018

Horário: 18h às 21:30h

Venha conhecer o que a América Latina produz de melhor quando o assunto é vinho.

Saúde!

Cristina A. Prado

Read Full Post »

DSC_6600Si a Mendoza vino y no tomó vino, a que vino?

Em visita à vinícola Dominio Del Plata, de Susana Balbo, fui recebida pelo Juan, sommelier muito atencioso e que proporcionou uma visita bastante enriquecedora. Susana Balbo é uma marca forte, inclusive no Brasil, mais famosa por seu vinho base Crios, mas que produz também vinhos de pequeno volume, muito especiais, como Ben Marco e Nosotros.

Nascida em uma família tradicional e contrariando as convenções sociais da época, Susana decidiu se profissionalizar na atividade vitivinícola, tornando-se a primeira mulher enóloga da Argentina. Trabalhou em grandes vinícolas como Catena e Michel Torino até que em 1999 comprou uma fazenda e logo começou a elaboração de seus próprios vinhos, na época, com tanques e barricas emprestados. Hoje, o Dominio Del Plata é formado por Susana e seus sócios argentinos, com vinhedos próprios e associados, e produz cerca de 2 milhões de litros por ano.

No Dominio Del Plata, todo o trabalho é manual. Os cachos são cuidadosamente selecionados, depois são recebidos pelo alto para que a fermentação ocorra por gravidade, mantendo os cachos e suas uvas inteiros para um ótimo desenvolvimento de aromas e sabores durante esse processo. Os vinhos tintos não são filtrados, para preservar ao máximo sua cor e aromas e somente os brancos, rosés e alguns tintos são clarificados.

DSC_6590

Os vinhos da linha Crios fermentam e já seguem para engarrafar. Os demais, passam por maturação em barris de carvalho, de acordo com a intenção do produtor para cada marca.

Juan contou que a casta Torrontés, branca aromática autóctone da Argentina é um cruzamento das castas Criolla com Moscato de Alexandria. Por suas características únicas, foi encarada por Susana desde o início como uma casta de qualidade. Amadurece em barris de carvalho e resulta num vinho de destaque da casa. Juan brinca que a Torrontés é uma uva mentirosa, pois os vinhos produzidos a partir dessa casta no nariz indicam doçura, mas na boca, são secos.

Depois de mais de 10 anos de crescimento nos mercados internacionais, os filhos de Susana (José, enólogo e Ana, administradora) passaram a integrar a equipe de Susana Balbo, dando continuação à tradição familiar.

Alguns dos vinhos degustados na visita foram:

Susana Balbo Torrontés 2013, Valle de Uco

3 meses em barris de carvalho

De coloração amarelo limão, apresenta aromas de baunilha, mel, com notas cítricas e folrais. Em boca, é um vinho de corpo leve, com boa acidez, bem integrado e não é cansativo. Harmonização sugerida pelo sommelier: salada verde, sushi ou comida picante indiana ou tailandesa.

Susana Balbo Malbec 2013, Valle de Uco

13 meses em barris de carvalho

De coloração vermelho púrpura, apresenta aromas de ameixa, amora preta, cassis e notas de pimenta preta. Em boca, frutas negras maduras, chocolate e menta, com taninos marcantes e bem integrados e boa acidez. Sugestão de harmonização: carnes vermelhas, porco ou uma massa bolonhesa.

DSC_6605

Ben Marco Expressivo 2013, Valle de Uco

(75% Malbec, 20% Cabernet Franc e 5% Cabernet Sauvignon)

13 meses em barris de carvalho

De coloração vermelho púrpura, apresenta aromas de amora madura, cassis, violeta e notas minerais. Em boca, frutas negras maduras, com taninos firmes e fino e boa acidez. Harmonização sugerida: carnes vermelhas, porco e queijos duros.

Susana Balbo Malbec Late Harvest 2010, Agrelo

18 meses em barris de carvalho

De coloração rubi com reflexos violáceos, apresenta aromas de uva passa, compota de frutas negras, especiarias como cravo e canela, com delicada doçura em boca, bom corpo e acidez. Um vinho muito diferente que vale a experiência! Harmonização sugerida com tortas de frutas vermelhas, chocolate ou queijo azul.

A quem desejar visitar, uma reserva prévia se faz necessária e pode ser feita por e-mail ou telefone nos contatos: turismo@sbwines.com.ar, osadia@sbwines.com.ar, +54 261 4989231, +54 9 261 156626754.

Um brinde!

Cristina A. Prado

Read Full Post »

A história da vinícola Catena Zapata tem início em 1898 com a chegada do italiano Nicola Catena à Argentina, em busca de oportunidades no mundo novo. Nicola plantou seu primeiro vinhedo de Malbec, uma casta então utilizada em algumas regiões na França, em 1902, acreditando no potencial dessa casta na região de Mendoza, um palpite que só veio se concretizar plenamente quase um século depois.

VINHEDOS_CATENA_ZAPATA

Foi Domingo, o filho mais velho de Nicola, que levou adiante o sonho de seu pai, estabelecendo a marca Catena como um dos maiores produtores de vinhos em Mendoza. Na época, produzia-se o famoso vinho de garrafão direcionado totalmente para o mercado interno. Em 1960, no entanto, a economia argentina quebrou e a família Catena sofreu para se manter.

Um novo capítulo da Catena começou a ser desenhado em 1980 com Nicolás Catena, filho de Domingo, que teve a oportunidade de estudar em Berkeley, na Califórnia, e junto com sua esposa conheceu os vinhos da única região no novo mundo que começavam a fazer frente aos melhores vinhos franceses – o vale de Napa. Quando retornou à Argentina com uma nova visão, vendeu sua vinícola produtora de vinho de mesa, mantendo apenas a vinícola que produzia vinhos finos, e tornou-se a primeira vinícola a exportar vinhos argentinos.

CATENA_ZAPATA_BODEGA

Em busca dos melhores terroirs na região de Mendoza, Nicolás estava disposto a arriscar, e em 1992 plantou vinhedos em Gualtallary Alto, a 5.000 metros de altitude, indo contra as recomendações de seu enólogo, que acreditava que as uvas não amadureceriam o suficiente. No fim, Nicolás descobriu que as regiões com altitude elevada de Mendoza eram excepcionais para a produção de vinhos equilibrados, elegantes e com deliciosos e aveludados taninos.

Após o falecimento de seu pai, Nicolás trabalhou arduamente para produzir o primeiro Catena Malbec, em 1994, vinho este que estrelou no Wall Street Journal como o Malbec Argentino número 1. Somente dez anos depois a Malbec viria a se tornar uma casta conhecida pelo mundo.

ESTIBA-CATENA-ZAPATA-BARRICA

Hoje, o vinho ícone da casa é o Estiba Reservado, um corte bordalês (Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot) de uvas plantadas a mais de 3.000 metros. O segundo, é o Nicolás Catena, corte de Cabernet Sauvignon e Malbec, lançado em 1997 e o terceiro, o Catena Argentino, um vinho de altitude 100% Malbec com elevada concentração de taninos.

A vinícola Catena produz 4 milhões de litros por ano. Faz parte de uma holding com quem produz em uma estrutura separada o Alamos, excelente custo-benefício e a marca com maior volume da Argentina, com 17 milhões de litros por ano.

Em visita à Catena Zapata, pude experimentar alguns de seus vinhos ícones, sendo que o Estiba 2014 foi provado diretamente da barrica:

Catena Alta Chardonnay 2012

12 meses em barrica francesa

De coloração amarelo dourado, apresenta aromas de frutas cítricas e tropicais como abacaxi e notas de manteiga, caramelo e mel. Em boca, apresenta corpo, acidez e álcool médios e sabores de frutas tropicais com notas minerais.

VINHOS-CATENA-ZAPATA-BODEGAMalbec Argentino 2010

Vinhedos Adrianna e Nicasia, com mais de 100 anos

24 meses em barrica francesa

De coloração púrpura profundo, apresenta aromas intensos de frutas negras maduras como amora, groselha e uva passa e notas de pimenta preta. Em boca, é encorpado, apresenta taninos marcantes, acidez e álcool bem integrados, com muita fruta negra madura.

Nicolás Catena 2011

Vinhedos Adrianna, Nicasia, Domingos e La Pirámide

Cabernet Sauvignon e Malbec, 24 meses de barrica francesa

De coloração vermelho rubi intenso, apresenta aromas de frutas negras como ameixa, com notas de pimenta preta e couro. Em boca, é encorpado e apresenta taninos marcantes, acidez e álcool bem integrados, com fruta negra madura e toques tostados.

A quem deseja fazer uma visita à Catena, o agendamento pode ser feito diretamente pelo site (www.catenawines.com) ou através do e-mail turismo@catenazapata.com. É, certamente, uma experiência e tanto!

Um brinde!

Cristina Almeida Prado.

Read Full Post »